domingo, 25 de dezembro de 2011

Ser feliz reduz em 35% riscos de morte prematura, diz estudo

Ficar feliz reduz riscos de morte prematura em até 35%. É o que aponta estudo realizado na Universidade College, em Londres, e publicado na versão online da revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Ao contrário de outros estudos sobre felicidade que se baseiam nos relatos de muito tempo atrás dos pacientes, este usou a técnica chamada Ecological Momentary Assessment, que dá uma imagem rápida do que a pessoa está sentindo em tempo real.

Aproximadamente quatro mil participantes, com idades entre 52 e 79 anos, tinham que destacar seus sentimentos de felicidade ou ansiedade em uma escala quatro vezes ao dia a partir do momento em que eles acordavam. Os cientistas os acompanharam por cinco anos e relataram os números de mortes durante o período.

Texto retirado do UOL Ciência e Saúde. Para saber mais clique aqui.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

O Ínício de Tudo

Criei esse blog com o objetivo de compartilhar com você, minhas experiências e descobertas dentro deste maravilhoso mundo do coaching e como o meu maior interesse é no bem-estar ( wellness), então, aqui, você também encontrará muitos artigos pertinentes a esse tema. Fique a vontade para tirar dúvidas, enviar sugestões e claro, criticas construtivas.
Seja muito bem-vindo a este lugar que, para mim, é sagrado. Aqui, cuido de gente como a gente. Ajudo as pessoas a descobrirem que a felicidade está dentro de cada um. Então, comece por você e pare de buscá-la no mundo lá fora, nas pessoas, nas circunstâncias, no dinheiro, nas condições do tipo: serei feliz quando conseguir isso ou serei feliz quando aquilo acontecer. O isso vai chegar, o aquilo vai acontecer e o maximo que você vai conseguir é ficar alegre por algum tempo. Depois, vai se acostumar e criar outra condição. Por isso, faz-se mais do que necessário, buscar essa felicidade no momento presente, mesmo que as circunstâncias não sejam de todo favoráveis. Isso é possível! Pode acreditar!
Um beijo carinhoso e carpe diem!
Flávia.